Mãe dá à luz uma ‘sereia’ da vida real

Bebê nascido com suas pernas unidas, falece tragicamente, após quatro horas de seu nascimento, impossibilitando os médicos identificarem seu sexo.

O supreendente parto aconteceu na Índia, o nascimento do segundo “bebê sereia” nascido naquele país, mas infelizmente o bebê veio a óbito, apenas após quatro horas do seu nascimento.

Segundo os médicos que o trataram, o sexo do bebê não pôde ser identificado, devido à sua pelve não ter sido desenvolvida e suas pernas estarem unidas, como se fosse uma cauda. O bebê sofria sofria de uma condição genética rara conhecida como <strong>sirenomelia</strong> ou <strong>”síndrome da sereia”</strong>.

A mãe do bebê, a indiana, Muskura Bibi, de 23 anos, deu à luz naturalmente, em dezembro de 2017, no Hospital Chittaranjan Deva Sadan, administrado pelo governo local em Kolkata, leste da Índia.

Bibi não tinha condições de fazer exames durante a gravidez, portanto, só soube sobre a condição rara do seu bebê quando o viu pela primeira vez depois de dar à luz.

O Dr. Sudip Saha, especialista em crianças do hospital, que atendeu o bebê, relatou que os pais são um casal de trabalhadores que não procuraram tratamento médico adequado durante a gravidez devido à falta de recursos. A mãe durante a gravidez não fez nenhum tipo de pré-natal e nenhuma ultrassonografia, que poderia ter apontado o problema.

Segundo o especialista, a falta de nutrição adequada e circulação sanguínea imprópria para o bebê da mãe poderia ter ocasionado esse tipo de condição rara.  É o primeiro caso de <strong>Sirenomelia</strong> no estado e segundo no país.

O bebê tinha formação normal na parte superior do corpo, mas abaixo da cintura suas pernas estavam unidas, não desenvolvendo a parte inferior do seu corpo normalmente..

Falta de nutrição adequada e circulação sanguínea imprópria para o bebê da mãe pode criar esse tipo de anormalidade no feto. Infelizmente esses bebês não sobrevivem.

Em 2016, uma mulher de Uttar Pradeash, norte da Índia, deu à luz o primeiro “bebê sereia” do país, que sobreviveu por apenas 10 minutos.

A historiadora médica Lindsey Fitzharris, que tem um PhD da Universidade de Oxford, disse anteriormente ao jornal inglês MailOnline que essa condição ocorre quando o cordão umbilical não consegue formar duas artérias. Como resultado, há um suprimento insuficiente de sangue atingindo o feto.

Segundo a Dra Fitzharris: ‘Sirenomelia é extremamente fatal.

Na maioria dos casos os bêbes vem a óbito nos primeiros momentos de vida, pois podem apresentar complicações em seus órgãos internos.

Porém, há alguns casos que os bebês conseguem viver até o final da infância, como o caso da garotinha Shiloh Pepin, que viveu até os seus 10 anos, ela não possuia órgãos genitais e apenas um dos seus rins funcionavam. Em nenhum momento de sua curta vida, Shiloh quis fazer a cirirgia para separar sua pernas.

<strong>Sirenomelia</strong>

Sirenomelia, também conhecida como síndrome da sereia, é uma condição extremamente rara que causa fusão parcial ou completa das pernas.

Ela afeta um entre 60.000 e 100.000 nascimentos.

Sofredores também podem ter complicações gastrointestinais e falta de rins, ou subdesenvolvidos.

Sua causa é desconhecida.

A maioria dos pacientes morre como recém-nascidos devido a complicações pulmonares e defeitos cardíacos.

O tratamento envolve a separação cirúrgica das pernas.

Fontes: Organização Nacional de Doenças Raras, Correio 24 horas e Daily Mail

Imagens: Imagens: Caters News Agency</em>

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: